14/12/2014 - Pastoral visit to San Giuseppe all'Aurelio

14/12/2014 - Pastoral visit to San Giuseppe all'Aurelio

Postby Sonia » Mon Dec 29, 2014 6:39 pm

14 December 2014

Pastoral visit to the Roman Parish of San Giuseppe all'Aurelio, Rome.

16:00 pm European time
15:00 pm UK time



Image
Image
User avatar
Sonia
Site Admin
 
Posts: 5033
Joined: Mon Nov 22, 2010 11:22 pm

Re: 14/12/2014 - Pastoral visit to San Giuseppe all'Aurelio

Postby Sonia » Mon Dec 29, 2014 6:59 pm

14 December 2014

VIDEO



Video Acknowledgement: CTV and vatican

Image


ENGLISH

PASTORAL VISIT TO THE ROMAN PARISH
"SAN GIUSEPPE ALL'AURELIO"

HOMILY OF HIS HOLINESS POPE FRANCIS

Third Sunday of Advent, 14 December 2014


On this Sunday, the Church, looks forward to the joy of Christmas, and that is why it is called “Gaudete Sunday”. In this season, a time of preparation for Christmas, we wear dark vestments, but today they are pink for the blossoming of Christmas joy. And the joy of Christmas is a special joy; but it is a joy that isn’t just for the day of Christmas, it is for the entire life of a Christian. It is a serene and tranquil joy, a joy that forever accompanies the Christian. Even in difficult moments, in moments of difficulty, this joy becomes peace. When he is a true Christian, the Christian never loses his peace, even in suffering. That peace is a gift from the Lord. Christian joy is a gift from the Lord. “Ah, Father, we’ll have a nice big luncheon, everybody will be happy”. This is lovely, a nice luncheon is good; but this isn’t the Christian joy we are talking about today. Christian joy is something else. It brings us together to celebrate, it’s true. Thus the Church wants you to understand what Christian joy is.

The Apostle St Paul says to the Thessalonians: “Brothers, rejoice always”. And how can I rejoice? He says: “pray constantly, give thanks in all circumstances”. We find our Christian joy in prayer, it comes from prayer and from giving thanks to God: “Thank you, Lord, for so many beautiful things!”. But there are those who don’t know how to give thanks to God; they are always looking for something to lament about. I knew a sister — far from here! — this sister was a good woman, she worked... but her life was about lamenting, complaining about so many things that happened.... You see, in the convent they called her “Sr Lamenta”. But a Christian cannot live like this, always looking for something to complain about: “That person has something I don't have.... Did you see what just happened?...”. This is not Christian! And it is harmful to find Christians with embittered faces, with a face wry with bitterness, not in peace. Never, never was there a saint with a mournful face, never! Saints always have joy in their faces. Or at least, amid suffering, a face of peace. The greatest suffering, the martyrdom of Jesus: He always had peace in his face and was concerned about others: his mother, John, the thief... his concern was for others.

To have this Christian joy, first, is prayer; second, to give thanks. And what do I do to give thanks? Reflect on your life and think of the many good things that life has given you: so many. “But, Father, it’s true, but I have also received so many bad things!” — “Yes, it’s true, it happens to us all. But think of the good things” — “I have a Christian family, Christian parents, thank God I have a job, my family is not suffering of hunger, we are all healthy...”. I don’t know, so many things, and give thanks to the Lord for this. This accustoms us to joy. Pray, give thanks....

And then, the First Reading suggests another dimension that will help us to have joy. It is to bring others the Good News: We are Christians. “Christian” comes from “Christ”, and “Christ” means “anointed”. And we too are “anointed”. The Spirit of the Lord is upon me, because the Lord consecrated me with unction. We are anointed: Christians mean “anointed ones”. And why are we anointed? To do what? “He sent me to bring the good news” to whom? “To the poor, to bind up the brokenhearted, to proclaim liberty to the captives, and the opening of the prison to those who are bound; to proclaim the year of the Lord’s favor” (cf. Is 61:1-2). This is the vocation of Christ and the vocation of Christians as well. To go to others, to those in need, whether their needs be material or spiritual.... Many people who suffer anxiety because of family problems.... To bring peace there, to bring the unction of Jesus, the oil of Jesus which does so much good and consoles souls.

Therefore, in order to have this joy in preparation for Christmas, first, pray: “Lord, let me live this Christmas with true joy”. Not with the joy of consumerism that leads me to 24 December with anxiety, because “ah, I’m missing this, I’m missing that...”. No, this is not the joy of God. Prayer. Second: give thanks to the Lord for the good things he has given us. Third, think of how we can go to others, to those in difficulty and with problems — let us think of the sick, of so many problems — to bring a little unction, peace, joy. This is the joy of the Christian. Agreed? We have 15 days left, a little less: 13 days. In these days, let us pray. But do not forget: let us pray, asking for the joy of Christmas. Let us give thanks to God for the good things that he has given us, above all the faith. This is a wonderful grace. Third, let us think where I can go to bring a little relief, a little peace, to those who suffer. Pray, give thanks and help others. And like this we will arrive at the Birth of the Anointed One, the Christ, as ones anointed in grace, prayer and acts of grace and help towards others.

May Our Lady accompany us on this path towards Christmas. And let there be joy, joy!


ITALIANO

VISITA PASTORALE ALLA PARROCCHIA ROMANA
«SAN GIUSEPPE ALL'AURELIO»

OMELIA DEL SANTO PADRE FRANCESCO

III Domenica di Avvento, 14 dicembre 2014


La Chiesa, in questa domenica, anticipa un po’ la gioia del Natale, e per questo si chiama “la domenica della gioia”. In questo tempo, tempo di preparazione al Natale, per la Messa indossiamo i paramenti scuri, ma oggi ci sono questi rosa, perché fiorisce la gioia del Natale. E la gioia del Natale è una gioia speciale; ma è una gioia che non è solo per il giorno di Natale, è per tutta la vita del cristiano. E’ una gioia serena, tranquilla, una gioia che sempre accompagna il cristiano. Anche nei momenti difficili, nei momenti di difficoltà, questa gioia diventa pace. Il cristiano non perde mai la pace, quando è vero cristiano, anche nelle sofferenze. Quella pace è un dono del Signore. La gioia cristiana è un dono del Signore. “Ah, Padre, noi facciamo un bel pranzone, tutti contenti”. Questo è bello, un bel pranzone sta bene; ma questa non è la gioia cristiana della quale parliamo oggi, la gioia cristiana è un’altra cosa. Ci porta anche a fare festa, è vero, ma è un’altra cosa. E per questo, la Chiesa vuol far capire che cosa sia questa gioia cristiana.

L’Apostolo san Paolo ai Tessalonicesi dice: “Fratelli, siate sempre lieti”. E come posso essere lieto? Lui dice: “Pregate, ininterrottamente, in ogni cosa rendete grazie”. La gioia cristiana la troviamo nella preghiera, viene dalla preghiera e anche dal rendere grazie a Dio: “Grazie, Signore, per tante cose belle!”. Ma ci sono persone che non sanno ringraziare Dio: cercano sempre qualcosa per lamentarsi. Io conoscevo una suora – lontano da qui! – questa suora era buona, lavorava… ma la sua vita era lamentarsi, lamentarsi di tante cose che succedevano…. Nel convento la chiamavano “Suor Lamentela”, si capisce. Ma un cristiano non può vivere così, sempre cercando di lamentarsi: “Quello ha qualcosa che io non ho, quello… Hai visto che cosa è successo?…”. Questo non è cristiano! E fa male trovare cristiani con la faccia amareggiata, con quella faccia inquieta dell’amarezza, che non è in pace. Mai, mai un santo o una santa ha avuto la faccia funebre, mai! I santi hanno sempre la faccia della gioia. O almeno, nelle sofferenze, la faccia della pace. La sofferenza massima, il martirio di Gesù: Lui aveva quel volto di pace e si preoccupava degli altri: della mamma, di Giovanni, del ladrone… si preoccupava degli altri.

Per avere questa gioia cristiana, primo, pregare; secondo, rendere grazie. E come faccio, per rendere grazie? Ricorda la tua vita, e pensa a tante cose buone che la vita ti ha dato: tante. “Ma, Padre, è vero, ma io ho ricevuto tante cose cattive!” – “Sì, è vero, succede a tutti. Ma pensa alle cose buone” – “Io ho avuto una famiglia cristiana, genitori cristiani, grazie a Dio ho un lavoro, la mia famiglia non soffre la fame, siamo tutti sani...”. Non so, tante cose, e rendere grazie al Signore per questo. E questo ci abitua alla gioia. Pregare, rendere grazie…

E poi, la prima Lettura ci suggerisce un’altra dimensione che ci aiuterà ad avere la gioia: è portare agli altri il lieto annuncio. Noi siamo cristiani. “Cristiani” viene da “Cristo”, e “Cristo” significa “unto”. E noi siamo “unti”: lo Spirito del Signore è su di me, perché il Signore mi ha consacrato con l’unzione. Noi siamo unti: cristiani vuol dire “unti”. E perché siamo unti? Per fare che cosa? “Mi ha mandato a portare il lieto annuncio” a chi? “Ai miseri”, “a fasciare le piaghe dei cuori spezzati, a proclamare la libertà degli schiavi, la scarcerazione dei prigionieri, a promulgare l’anno di grazia del Signore” (cfr Is 61,1-2). Questa è la vocazione di Cristo e anche la vocazione dei cristiani. Andare agli altri, a quelli che hanno bisogno, sia bisogni materiali, sia spirituali… Tanta gente che soffre angoscia per problemi familiari… Portare la pace lì, portare l’unzione di Gesù, quell’olio di Gesù che fa tanto bene e consola le anime.

Dunque, per avere questa gioia nella preparazione del Natale, primo, pregare: “Signore, che io viva questo Natale con la vera gioia”. Non con la gioia del consumismo che ci porta al 24 dicembre tutti in ansia, perché “Ah, mi manca questo, mi manca quello…”. No, questa non è la gioia di Dio. Pregare. Secondo: rendere grazie al Signore per le cose buone che ci ha dato. Terzo, pensare come posso andare agli altri, a quelli che hanno difficoltà, problemi – pensiamo agli ammalati, a tanti problemi – a portare un po’ di unzione, di pace, di gioia. Questa è la gioia del cristiano. D’accordo? Mancano appena 15 giorni, un po’ di meno: 13 giorni. In questi giorni, preghiamo. Ma non dimenticate: preghiamo chiedendo la gioia del Natale. Rendiamo grazie a Dio per tante cose che ci ha dato, prima di tutto la fede. Questa è una grazia grande. Terzo, pensiamo dove io posso andare a portare un po’ di sollievo, di pace a quelli che soffrono. Preghiera, rendimento di grazie e aiuto agli altri. E così arriveremo al Natale dell’Unto, del Cristo, unti di grazia, di preghiera, di azione di grazia e di aiuto agli altri.

Che la Madonna ci accompagni in questa strada verso il Natale. Ma la gioia, la gioia!


ESPANOL


VISITA PASTORAL A LA PARROQUIA ROMANA
«SAN GIUSEPPE ALL'AURELIO»

HOMILÍA DEL SANTO PADRE FRANCISCO

III Domenica de Adviento, 14 de diciembre de 2014


La Iglesia, este domingo, anticipa un poco la alegría de la Navidad, y por esto se llama «el domingo de la alegría». En este tiempo, tiempo de preparación a la Navidad, para la misa usamos los ornamentos oscuros, pero hoy estos son de color rosa, porque florece la alegría de la Navidad. Y la alegría de la Navidad es una alegría especial; es una alegría que no es sólo para el día de Navidad, es para toda la vida del cristiano. Es una alegría serena, tranquila, una alegría que acompaña siempre al cristiano. Incluso en los momentos difíciles, en los momentos de dificultad, esta alegría se convierte en paz. El cristiano, cuando es auténtico cristiano, nunca pierde la paz, incluso en los sufrimientos. Esa paz es un don del Señor. La alegría cristiana es un don del Señor. «Ah, Padre, nosotros hacemos un buen almuerzo, todos contentos». Esto es hermoso, un buen almuerzo está bien; pero esto no es la alegría cristiana de la que hablamos hoy, la alegría cristiana es otra cosa. Nos conduce a hacer fiesta, es verdad, pero es otra cosa. Y por ello la Iglesia quiere hacer comprender qué significa esta alegría cristiana.

El apóstol san Pablo dice a los Tesalonicenses: «Hermanos, estad siempre alegres». ¿Y cómo puedo estar alegre? Él dice: «Sed constantes en orar. Dad gracias en toda ocasión». La alegría cristiana la encontramos en la oración, viene de la oración y también de la acción de gracias a Dios: «Gracias, Señor, por tantas cosas hermosas». Pero hay personas que no saben agradecer a Dios: buscan siempre algo para lamentarse. Yo conocía a una religiosa —lejos de aquí—, esta hermana era buena, trabajaba... pero su vida era lamentarse, lamentarse por muchas cosas que sucedían.... En el convento la llamaban «hermana Lamento», se comprende. Pero un cristiano no puede vivir así, siempre buscando lamentarse: «Aquel tiene algo que yo no tengo, aquel... ¿Has visto lo que sucedió?...». ¡Esto no es cristiano! Y hace mal encontrar cristianos con la cara amargada, con esa cara inquieta de la amargura, que no está en paz. Nunca, nunca un santo o una santa tuvo la cara fúnebre, ¡nunca! Los santos tienen siempre el rostro de la alegría. O al menos, en los sufrimientos, un rostro de paz. El sufrimiento máximo, el martirio de Jesús: Él tenía un rostro de paz y se preocupaba de los demás: de la madre, de Juan, del ladrón... se preocupaba de los demás.

Para tener esta alegría cristiana, primero, rezar; segundo, dar gracias. ¿Y cómo hago para dar gracias? Recuerda tu vida, y piensa en las muchas cosas buenas que te dio la vida: muchas. «Sí, Padre, es verdad, pero yo recibí muchas cosas malas». —«Sí, es verdad, sucede a todos. Pero piensa en las cosas buenas». —«Yo tuve una familia cristiana, padres cristianos, gracias a Dios tengo un trabajo, mi familia no pasa hambre, estamos todos sanos...». No lo sé, muchas cosas, y dar gracias al Señor por esto. Y ello nos acostumbra a la alegría. Rezar, dar gracias...

Y luego, la primera lectura nos sugiere otra dimensión que nos ayudará a tener alegría: se trata de llevar a los demás la buena noticia. Nosotros somos cristianos. «Cristianos» viene de «Cristo», y «Cristo» significa «ungido». Y nosotros somos «ungidos»: el Espíritu del Señor está sobre mí, porque el Señor me ha consagrado con la unción. Nosotros somos ungidos: cristianos quiere decir «ungidos». ¿Y por qué somos ungidos? ¿Con qué fin? «Me envió para dar la buena noticia», ¿a quién? «A los pobres», «para curar los corazones desgarrados, proclamar la amnistía a los cautivos y a los prisioneros la libertad; para proclamar un año de gracia del Señor» (cf. Is 61, 1-2). Esta es la vocación de Cristo y también la vocación de los cristianos. Ir al encuentro de los demás, de quienes pasan necesidad, tanto necesidades materiales como espirituales... Hay mucha gente que sufre angustia por problemas familiares... Llevar paz allí, llevar la unción de Jesús, ese óleo de Jesús que hace tanto bien y consuela a las almas.

Así, pues, para tener esta alegría en la preparación de la Navidad, primero, rezar: «Señor, que yo viva esta Navidad con la verdadera alegría». No con la alegría del consumismo que nos conduce a todos al 24 de diciembre con ansiedad, porque: «Ah, me falta esto, me falta aquello...». No, esta no es la alegría de Dios. Rezar. Segundo: dar gracias al Señor por las cosas buenas que nos ha regalado. Tercero, pensar cómo puedo ir al encuentro de los demás, de quienes atraviesan dificultades, problemas —pensemos en los enfermos, en tantos problemas—, en llevar un poco de unción, de paz, de alegría. Esta es la alegría del cristiano. ¿De acuerdo? Faltan sólo quince días, algo menos: trece días. En estos días, recemos. Pero no lo olvidéis: recemos pidiendo la alegría de la Navidad. Demos gracias a Dios por las muchas cosas que nos ha dado, primero de todo la fe. Esta es una gracia grande. Tercero, pensemos dónde puedo ir yo a llevar un poco de alivio, de paz a quienes sufren. Oración, acción de gracias y ayuda a los demás. Y así llegaremos al Nacimiento del Ungido, del Cristo, ungidos de gracia, de oración, de acción de gracias y ayuda a los demás.

Que la Virgen nos acompañe en este camino hacia la Navidad. Pero ¡la alegría, la alegría!


PORTUGUES

VISITA PASTORAL À PARÓQUIA ROMANA
DE SÃO JOSÉ NO BAIRRO AURÉLIO

HOMILIA DO PAPA FRANCISCO

III Domingo de Advento, 14 de Dezembro de 2014


Neste domingo, a Igreja antecipa um pouco a alegria do Natal, e por este motivo é chamado o «domingo da alegria». Neste período, tempo de preparação para o Natal, para celebrar a Missa vestimo-nos com paramentos de cor escura, mas hoje os paramentos são cor-de-rosa, porque floresce o júbilo do Natal. E a alegria do Natal é um júbilo especial; e trata-se de uma alegria que não é unicamente para o dia de Natal, mas para a vida inteira do cristão. Trata-se de um júbilo sereno, tranquilo, de uma alegria que acompanha sempre o cristão. Inclusive nos momentos difíceis, nas horas de dificuldade, esta alegria torna-se paz. Quando é autêntico, o cristão nunca perde a sua paz, nem sequer no meio dos sofrimentos. Aquela paz constitui um dom do Senhor. A alegria cristã é uma dádiva do Senhor. «Ah, padre, nós faremos um banquete, e todos estaremos contentes!». Isto é bonito, um bom almoço faz bem; mas esta não é a alegria cristã da qual falamos hoje; o júbilo cristão é diferente. Ele leva-nos também a fazer festa, é verdade, mas trata-se de algo diferente. É por este motivo que a Igreja nos quer levar a compreender no que consiste esta alegria cristã.

O apóstolo são Paulo já dizia aos Tessalonicenses: «Irmãos, sede sempre felizes!». E como posso ser feliz? É ele mesmo que diz: «Rezai, ininterruptamente, e dai graças por tudo!». Podemos encontrar a alegria cristã na oração, dado que tal júbilo vem da prece, mas também da acção de graças a Deus: «Obrigado, Senhor, por toda esta beleza!». Mas certas pessoas não sabem dar graças a Deus: procuram sempre algo do que se queixar. Eu conhecia uma religiosa — longe daqui! — era uma irmã muito boa, trabalhava... mas a sua vida era uma lamentação, murmurava de tantas coisas que lhe aconteciam... No convento chamavam-lhe «Irmã Queixume», entende-se. No entanto, o cristão não pode viver assim, sempre à procura de situações das quais se queixar: «Aquela pessoa possui algo que eu não tenho, aquilo... Viste o que aconteceu? ...». Isto não é cristão! E faz mal encontrar cristãos com a cara amargurada, com um rosto inquieto devido à amargura, alguém que não vive em paz. Os santos, as santas, nunca têm uma cara de funeral, nunca! Os santos têm sempre uma cara de alegria. Ou pelo menos, nos sofrimentos, o rosto da paz. O máximo sofrimento foi o martírio de Jesus: Ele tinha um semblante de paz quando se preocupava pelos outros: pela sua Mãe, por João, com o ladrão... preocupava-se com os outros!

Para ter esta alegria cristã, em primeiro lugar é preciso rezar; em segundo lugar, dar graças. E como me devo comportar, para dar graças? Recorda-te da tua vida, e pensa nas numerosas situações positivas que a tua vida te proporcionou: numerosas! «Padre, isto é verdade, mas eu passei também por tantas situações negativas!» — «Sim, é verdade, acontece com todos. Mas pensa nas coisas boas!» — «Tive uma família cristã, pais cristãos, graças a Deus disponho de um trabalho, a minha família não passa fome, todos nós gozamos de boa saúde...». Não sei, há muitas situações pelas quais dar graças ao Senhor. É precisamente isto que nos habitua à alegria. Rezar, dar graças...

Além disso, a primeira Leitura sugere-nos mais uma dimensão que nos ajudará a ser alegres: transmitir a boa notícia também aos outros. Nós somos cristãos. «Cristãos» vem de «Cristo», e «Cristo» significa «ungido». Por isso, nós somos «ungidos»: o Espírito do Senhor está sobre mim, porque o Senhor me consagrou com a unção. Nós estamos ungidos: «cristãos» quer dizer «ungidos». E por que motivo somos ungidos? Para realizar algo? «Ele enviou-me para transmitir o alegre anúncio», mas a quem? «Aos miseráveis», «curar as chagas dos corações feridos, proclamar a liberdade aos cativos, libertação aos prisioneiros, promulgar o ano da graça do Senhor» (cf.Is61, 1-2). Esta é a vocação de Cristo e também a vocação dos cristãos. Ir ao encontro do próximo, daqueles que vivem em necessidade, tanto material como espiritual... Há muitas pessoas que sofrem angustiados, devido a problemáticas familiares... É preciso levar ali a paz, a unção de Jesus, aquele azeite de Jesus que faz muito bem e consola as almas.

Por conseguinte, para possuir esta alegria na preparação do Natal, em primeiro lugar é necessário rezar: «Senhor, que eu viva este Natal com a alegria autêntica!». Não com a alegria do consumismo, que nos leva até ao dia 24 de Dezembro, todos cheios de ansiedade, porque: «Ah, ainda me falta isto, ainda me falta aquilo...». Não, esta não é a alegria de Deus! É preciso rezar. Em segundo lugar: dar graças ao Senhor por tudo o que nos concedeu de bom. Em terceiro lugar, devo pensar como posso ir ao encontro dos outros, daqueles que estão em dificuldade, que têm problemas — pensemos nos enfermos, em tantas problemáticas — para lhes levar um pouco de unção, de paz e de alegria. Nisto consiste o júbilo do cristão. Concordais? Faltam apenas 15 dias, um pouco menos: 13 dias. Nestes dias, oremos! Mas não vos esqueçais: rezemos, para pedir a alegria do Natal. Demos graças a Deus por tudo aquilo que Ele nos concedeu, antes de tudo pela fé. Esta é uma graça grandiosa. Em terceiro lugar, pensemos onde posso ir levar um pouco de alívio, de paz a quantos sofrem. Oração, acção de graças e ajuda ao próximo. E deste modo chegaremos ao Natal do Ungido, de Cristo, ungidos de graça, de oração, de acção de graças e de ajuda ao próximo.

Que Nossa Senhora nos acompanhe ao longo deste caminho rumo ao Natal. Mas com alegria, com alegria!
Image
User avatar
Sonia
Site Admin
 
Posts: 5033
Joined: Mon Nov 22, 2010 11:22 pm

Re: 14/12/2014 - Pastoral visit to San Giuseppe all'Aurelio

Postby Alice » Mon Dec 29, 2014 10:52 pm



With very kind permission from Rome Reports TV News Agency.
User avatar
Alice
 
Posts: 2264
Joined: Wed Mar 20, 2013 9:32 pm

Re: 14/12/2014 - Pastoral visit to San Giuseppe all'Aurelio

Postby Alice » Thu Jan 01, 2015 1:29 am

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Image

Photo Acknowledgements: L'Osservatore Romano
User avatar
Alice
 
Posts: 2264
Joined: Wed Mar 20, 2013 9:32 pm


Return to December 2014

Who is online

Users browsing this forum: No registered users and 1 guest